11 de mai de 2017

Tchau, Bates Motel

|
Oi amores, tudo bem? Depois que fiz o post sobre o fim de The Vampire Diaries, vi que teve uma aceitação bem legal, então resolvi fazer de todos os seriados que terminaram este ano que eu acompanhei, não vão entrar em ordem, até porque vários seriados que eu assistia terminou este ano (chorando) e eu quero falar sobre os mais importantes. No segundo post desta saga, vou falar de Bates motel. Atenção, contém spoiler.

Comecei a acompanhar o seriado ano passado, porque sou o tipo de pessoa que assiste de tudo, mais evito assuntos relacionados a psicopatas/perseguições porque sempre me chocam de alguma fora estes assuntos. E com o seriado não foi diferente.
Pra quem não sabe do que se trata o seriado, uma pequena sinopse: Com a morte do marido, Norma Bates compra um motel em uma pequena cidade para recomeçar a vida ao lado do filho Norman. Os dois mantêm uma complicada e intensa relação que fez de Norman um assassino em série na idade adulta.

O seriado no começo é mais tranquilo, parece que o autor quer preparar a destruição da sua mente nas próximas temporadas. Norman é ainda adolescente, e sempre foi somente ele e sua mãe. Eles compram o Motel e começam a tocar o negócio. Logo quando eles chegam na cidade, o Xerife Romero vai no Motel para averiguar quem era a nova família, e logo depois surge o primeiro caso de Norman: A morte do antigo proprietário da casa que não aceita seu "despejo". E consequentemente, vai aparecendo mais mortes com o decorrer da história. 

Norman para quem não sabe, é um moço que sofre de esquizofrenia e bipolaridade, então em momentos de perigo, ele assume a forma/personalidade da mãe, elimina o perigo e depois apaga da sua memória isso. 

Dylan, seu irmão mais velho vai até eles, Caleb também (que é o irmão de Norma) e tudo vai ficando pior. Na terceira ou quarta temporada, não me lembro ao certo, Romero (o xerife) começa a se envolver com Norma e topa casar com ela para ajudar a internar Norman em uma clínica psiquiátrica. E é ai que tudo sai do controle.  Norman interna, depois consegue escapar, não aceita o casamento da sua mãe (que descobriu depois por um jornal da cidade) até que, num surto, ele tranca toda a casa, fecha as ventilações da mesma, libera um gás letal e vai dormir com sua mãe. Romero chega tarde demais na casa, e encontra Norma já morta, e salva Norman. 

Não contente em matar a própria mãe, Norman a desenterra e cria um congelador no porão da casa e mantém a mãe por lá sem ninguém saber. Foi ai que o seriado ao meu ver, ficou bizarro. Na última e quinta temporada da trama, eu só queria que o Norman morresse. Não podia aceitar que depois de todas as mortes que ele provocou, ele sairia impune disso. 

Até que em um dos últimos episódios, Norman chama seu irmão e coloca a mãe morta sentada na cadeira da mesa de jantar para jantar com eles. Dylan vomita, literalmente. 

No último episódio, Norman finalmente morre (mais não vou contar como). Eu achei o seriado muito bem feito, um seriado que em todos episódios terminados, você deseja mais. Perto das temáticas que gosto de seriados, esse foi um dos mais diferentes, e que mesmo com tudo isso, me fez apreciar o mesmo. Eu indico muito para todos este seriado. Vale a pena. Mais ainda sim, não deixa de ser bem bizarro para mim. rs

Espero que gostem. Quem já assistiu até o fim, me conta o que achou. Beijos ♥


Nenhum comentário:

Postar um comentário